Mundo Operário

LUTA CONTRA REFORMA NA ARGENTINA

A UTA afirmou que não vai parar contra a reforma da previdência na Argentina

"Nós vamos trabalhar normalmente", disse o secretário de imprensa da UTA (Unión Tranviarios Automotor, sindicato dos trabalhadores do transporte). A CGT (central sindical) realizará uma conferência de imprensa onde poderá anunciar uma medida de luta.

segunda-feira 18 de dezembro de 2017| Edição do dia

O secretário de imprensa da União Tranviarios Automotor, Mario Calegari, garantiu que haverá coletivos ao longo do dia, apesar das medidas de força previstas contra a reforma das pensões.

Em declarações à Radio La Red, e em uma curiosa atitude "humanitária" proveniente da burocracia sindical de uma das mais fortes guildas do país, Calegari disse que "embora tenhamos uma reunião planejada na CGT, trabalharemos normalmente. Nós fizemos isso durante o início da manhã levando os passageiros para seus empregos e acreditamos que devemos devolvê-los às suas casas no momento certo ".

Com a ajuda do Conselho de Administração do centro de trabalho, que pediu para parar às 12 horas (quando a maior parte da classe trabalhadora tem trabalhado horas por horas), a UTA encontrou a desculpa perfeita para não tomar qualquer força o importante dia de protesto desta segunda-feira.

Em desenvolvimento
Tradução Douglas Silva




Tópicos relacionados

Argentina   /    Mauricio Macri   /    Mundo Operário   /    Internacional

Comentários

Comentar