Mundo Operário

Privatização da CEDAE

A CEDAE é do povo! Não a privatização!

Na terça feira dia 18/9, a Alerj votou uma lei que impede a privatização. O governador Pezão, porém, já manobra para derrubá-la. Apenas a mobilizações dos trabalhadores pode impedir a privatização.

quinta-feira 20 de setembro| Edição do dia

Após a pressão dos trabalhadores, a Alerj votou uma emenda que proibia a venda da CEDAE. Com isso, o estado do Rio corre o risco de sair do Regime de Recuperação Fiscal (RRF), acordo draconíaco assinado por Temer e Pezão. Apesar disso, o governador já veio declarar que irá vetar e já está articulando base na Alerj para garantir o veto.

Veja mais: O que é o Regime de Recuperação Fiscal e porque devemos combatê-lo

O governo federal veio dizer que caso a CEDAE seja privatizada, o estado não só sairia do RRF como teria que pagar imediatamente 2,9 bilhões de reais, mais os juros, referente ao empréstimo concedido. Mais uma vez, se mostra como esse acordo não passa de uma enorme chantagem.

Veja também: Trabalhadores da CEDAE derrubam veto de Pezão e garantem avanço contra a privatização

A CEDAE foi privatizada no início do ano passado, como parte do acordo para o RRF. Naquela época, o estado do Rio estava no ápice de sua crise, com salários atrasados e com as aulas na UERJ paralisadas. Sob esta situação, o governo federal deu como condição de que os ativos da CEDAE pudessem ser alienados (ou seja, passados para empresas privadas) para que o Rio pudesse entrar no RRF e pegasse um empréstimo de 2,9 bilhões. Se trata de um saque a população carioca, pois além de tudo a CEDAE era uma empresa lucrativa!

Veja também: Globo comemora votação da venda da CEDAE para pagar isenções fiscais da família Marinho

Apesar de agora votarem essa emenda, a Alerj foi aliada do Pezão na privatização da CEDAE. Para que ele conseguisse isso, foi necessário que a Alerj aprovasse o projeto de lei 7529/2017. Enquanto a Alerj aprova essa medida anti-trabalhador, os trabalhadores da CEDAE protagonizaram um processo de luta contra isso, com uma greve heroica e vários atos, que foram duramente reprimidos pela polícia. Isso significa que essa medida da Alerj não passa de mais uma manobra eleitoral, inclusive o próprio Pezão já está manobrando para garantir a aprovação do veto. Vale lembra que inclusive já existia uma decisão judicial que impedia a venda da CEDAE.

Veja também: Trabalhadores da CEDAE: A importância do Esquerda Diário na luta contra a privatização

Por isso, não podemos ter nenhuma confiança em Pezão ou na Alerj, com suas manobras eleitoreiras. É preciso que a mobilização independente dos trabalhadores imponha a anulação da privatização da CEDAE, junto com um programa que faça os capitalistas pagarem pela crise:

Pelo não pagamento da dívida pública!

Não a privatização da CEDAE! A CEDAE é do povo! Por uma CEDAE 100% estatal, geridas pelos trabalhadores e com controle da população!




Tópicos relacionados

CEDAE   /    Luiz Fernando Pezão   /    Crise no Rio de Janeiro   /    Rio de Janeiro   /    Mundo Operário

Comentários

Comentar