Sociedade

MOBILIZAÇÃO

“A Aula hoje é na rua”: já começaram as manifestações em todo o Estado de São Paulo contra a reorganização dos ciclos o fechamento de escolas

terça-feira 6 de outubro de 2015| Edição do dia

Crianças e adolescentes protestam, seja em cidades pequenas ou pelos bairros a fora das grandes cidades. Pais, alunos, funcionários e professores, diante de um dos maiores ataques contra a educação em nosso Estado, têm mostrado que a comunidade escolar pode sim se levantar contra uma medida imposta do Governador Alckmin. A reorganização das escolas afetará boa parte da sociedade, principalmente a classe trabalhadora mais precarizada. As denúncias e vídeos de manifestações que estão sendo realizadas estão se espalhando pelas redes sociais. Nos telejornais dos horários nobre da grande mídia? Ainda nada. Mas as equipes de reportagens locais não têm mais como abafar. Os grandes portais do site dos telejornais regionais da Rede Globo e em suas rádios filiadas (CBN) têm noticiado com frequência nos últimos dia os atos de ruas [1], [2]. Mas é claro que as muitas manifestações que ocorrem em escolas menores, em bairros mais periféricos, nas muitas pequenas cidades desse grande Estado nem serão noticiadas, muito menos televisionadas. Essas não ocorrem em grandes avenidas, não são articuladas pela direita ou por grupos governistas, como os atos do dia 16 e do dia 20, respectivamente.

Se a forte repressão policial explícita, muito bem noticiada, fez reverberar as manifestações em junho de 2013, esse profundo ataque que afeta principalmente os filhos da classe trabalhadora, além da já castigada categoria dos professores, não é digno de ser questionado e debatido em horário nobre.

Muitas comunidades escolares têm compreendido o que significa a reorganização escolar, já denunciado em outros artigos pelo Esquerda Diário: o fechamento de muitas escolas, demissões e o deslocamento de muitos alunos para outras escolas, algumas mais distantes. Muitos desses atos estão sendo organizados e tendo como protagonistas principais os próprios alunos. A fala de um adolescente da região do Jabaquara, cidade de São Paulo, sobre como ficariam as famílias dos professores e das trabalhadoras e trabalhadores da equipe de limpeza e merenda demitidos, evidencia a solidariedade de classe e a preocupação evidente da população quanto às demissões [3].

Cartazes e gritos: “Alckmin, a culpa é sua. A aula hoje é na rua” foram comuns nas ruas: estiveram presentes nos atos dos jovens de diferentes escolas em Jaú [4]; e também nos atos das crianças da EE Calhim Manoel Abud (Vila Califórnia, Zona Sul da cidade de São Paulo), que reivindicaram a sua escola [5].
Nesse último sábado também foi dia de luta nas ruas da cidade de Leme, região de São Carlos, quando a população percorreu 4 quilômetros para denunciar a medida da reorganização das escolas [6]. De Guarulhos, que pode ter várias escolas fechadas, vieram as imagens mais impressionantes de mobilização. Um vídeo mostra a expressividade do ato de rua em números [7].

Organizar a luta dos professores:

Por fim, se por um lado podemos perceber que são as escolas que correm o grande risco de serem fechadas que estão tomando a dianteira nessa luta, por outro lado ainda precisamos continuar a pressionar a APEOESP (Sindicato dos Professores) para que se mobilize de forma ampla e estruturada toda a categoria dos professores, visto que todos serão afetados, diretamente ou indiretamente. Estão mais que dadas as condições para que a direção sindical possa realmente impulsionar a luta dos professores, fazer diferente do que tem sido realizado historicamente: organizar os trabalhadores e preparar reais condições de luta para que possamos reagir à altura esse ataque do Governador Alckmin e do Secretário Herman. Diferente da última greve - onde nem sequer foi preparado um fundo de greve – a construção dessa mobilização deve ser feita nos chãos das escolas, com debates e chamados para a reorganização da luta de nossa categoria. Cabe a denúncia que as últimas reuniões dos Representantes de Escola foram esvaziadas devido a falta de abonadas. Por um lado, o governo que manobra na concessão das mesmas, por outro, a direção sindical que já gastou abonadas com webconferências sobre royalties do petróleo (questão menor frente às nossas bandeiras mais que urgentes).

Locais de reivindicações:

Foram noticiadas manifestações: Noroeste Paulista [1] - cidades de Votuporanga, Catanduva e Araçatuba; Bauru [2]; região do Jabaquara – São Paulo [3]; Jau [4]; Vila Califórnia, região sul da cidade de São Paulo [5]; Leme [6]; Guarulhos [7]; Ribeirão Preto [8]; Osasco [9]; Tupã [10]; Itapetininga [11]; Rancharia [12], Agudos [13]; Paraguaçu Paulista; Cachoeira Paulista; Araras.

Referências das notícias:

1 - Noroeste Paulista: Votuporanga, Catanduva e Araçatuba
Chamada: Alunos protestam contra mudanças no ensino na região noroeste paulista
http://g1.globo.com/sao-paulo/sao-jose-do-rio-preto-aracatuba/noticia/2015/10/alunos-protestam-contra-mudancas-no-ensino-na-regiao-noroeste-paulista.html

2 - Bauru:
Pais e alunos fecham rua e ateiam fogo durante protesto em Bauru
http://g1.globo.com/sp/bauru-marilia/noticia/2015/09/pais-e-alunos-fecham-rua-e-ateam-fogo-durante-protesto-em-bauru.html

3 - Região do Jabaquara, Zona Sul de São Paulo.
Alunos protestam contra possível fechamento da escola
https://www.youtube.com/watch?t=6&v=usdGSInChiw

4 - Jau:
Título: Passeata pede que escolas não mude
http://www.radiojauense.com.br/noticias_ler.php?id=8105

Vídeo do Jornal da Gente, TV LOCAL JAHU
https://www.youtube.com/watch?v=qpC0ZhR3zGU

5 - Alunos da EE CALHIM MANOEL ABUD se manifestam CONTRA a reorganização da SEE/SP
https://www.facebook.com/1050402608345658/videos/1050688094983776/?pnref=story

6- Leme (região de São Carlos)
Leme, SP, realiza manifestação contra as mudanças em escolas estaduais
http://g1.globo.com/sp/sao-carlos-regiao/noticia/2015/10/leme-sp-realiza-manifestacao-contra-mudancas-em-escolas-estaduais.html

7 – Ato em Guarulhos:
https://www.facebook.com/FiscalizaGuarulhos/videos/617391075029892/?pnref=story)
Rancharia, região de Presidente Prudente:
Título: Pais e alunos protestam contra mudanças em escolas estaduais
http://g1.globo.com/sp/presidente-prudente-regiao/noticia/2015/09/pais-e-alunos-protestam-contra-mudancas-em-escolas-estaduais.html

8 - Manifestação em Ribeirão preto (relatos de que 4 escolas podem ser fechadas):
Pais, estudantes e professores contestam fechamento de escolas
http://www.revide.com.br/noticias/pais-estudantes-e-professores-contestam-fechamento-de-escolas-em-manifestacao/

9 - Osasco, grande São Paulo (contra o fechamento de 7 escolas):
Moradores protestam contra fechamento de escolas estaduais em Osasco
http://correiopaulista.com/2013/moradores-protestam-contra-fechamento-de-escolas-estaduais-em-osasco/

10 - Tupã (alunos de duas escolas que podem ser fechadas):
Título: Alunos e professores protestam em Tupã contra fechamento de escolas
http://g1.globo.com/sp/bauru-marilia/noticia/2015/09/alunos-e-professores-protestam-em-tupa-contra-fechamento-de-escolas.html

11- Itapetininga:
Título: Professores e alunos de escolas estaduais em Itapetininga protestam contra reestruturação
http://g1.globo.com/sao-paulo/itapetininga-regiao/tem-noticias-1edicao/videos/t/edicoes/v/professores-e-alunos-de-escolas-estaduais-em-itapetininga-protestam-contra-reestruturacao/4507714/

12- Rancharia:
Pais e alunos protestam contra mudanças em escolas estaduais
http://g1.globo.com/sp/presidente-prudente-regiao/noticia/2015/09/pais-e-alunos-protestam-contra-mudancas-em-escolas-estaduais.html

13 - Agudos (contra o fechamento da escola Padre João Bastista de Aquino):
Título: Alunos e professores protestam em Agudos contra fechamento de escola
http://g1.globo.com/sp/bauru-marilia/noticia/2015/09/alunos-e-professores-protestam-em-agudos-contra-fechamento-de-escola.html




Tópicos relacionados

#Alckmin,VocêNãoFecharáNossasEscolas!   /    Sociedade   /    Educação   /    Fechamento de salas de aula   /    Juventude

Comentários

Comentar