Sociedade

CAPITALISMO

82% de toda a riqueza mundial está na mão de 1% da população

Ao contrário do que os economistas burgueses e a ideologia neoliberal pregavam, a cratera entre os mais ricos e a população mais pobre no mundo só aumenta. É o que aponta o recente levantamento feito pela Oxfam: 82% de toda a riqueza mundial gerada entre setembro de 2016 a setembro de 2017 ficou nas mãos de apenas 1% mais rico da população, ao mesmo tempo em que 99% da população mundial continua em suas condições de vida.

terça-feira 23 de janeiro| Edição do dia

O relatório aponta que no Brasil o número de bilionários passou de 31 para 43 pessoas. Atualmente, cinco destes detêm a riqueza equivalente ao de metade da população do país.

Também aponta que a maior parte dessa concentração de renda (2/3) não advém do trabalho acumulado, mas sim como consequência de heranças, monopólios e clientelismo.

Como era de se esperar, o machismo também não escapa das conclusões da análise: as mulheres são responsáveis por 10 trilhões de dólares gerados através de serviços domésticos que são utilizados para sustentar o capitalismo e suas bases estruturais da exploração. Além de ganharem 30% a menos que os homens, ocuparem os postos de trabalho mais precários, que muitas vezes são uma reprodução do trabalho doméstico, como cargos de limpeza, as mulheres e o trabalho doméstico são responsáveis por aumentar ainda mais os lucros capitalistas porque executam dia após dia gratuitamente um serviço que deveria ser oferecido pelo Estado, duplicando ou triplicando suas jornadas de trabalho.

Essa fortuna é produzida em base à exploração de trabalhadores, como leis trabalhistas flexíveis ou quase inexistentes, possibilitando um aprofundamento da precarização e do lucro sobre aquele trabalho. Ou seja, o relatório também aponta que através de medidas que reduzem salários e direitos dos trabalhadores para beneficiar os patrões é um forte agente na enorme acumulação de renda de uma pequena camada da sociedade.

Outro ponto é a imensa sonegação de impostos, realizada em larga escala nos grandes "paraísos fiscais" dos capitalistas: cerca de 7,6 trilhões de dólares estão sendo escondidos das autoridades fiscais.

Além disso, essas imensas fortunas se acumulam por outras vias que são vitais para a manutenção de um sistema de classes: as heranças. Segundo a Oxfam, estima-se que nos próximos 20 anos, as 500 pessoas mais ricas do mundo deixarão de herança uma quantia superior a 2 trilhões de dólares.

Enquanto a maioria da população colhe todos os dias uma vida de miséria, a burguesia lucra e mantém entre si uma quantidade inesgotável de riquezas. Esta riqueza é conquistada com o sangue e o suor da classe trabalhadora, às custas da fome e do precário acesso aos serviços básicos como educação, saúde, transporte e moradia adequada.

É preciso que os trabalhadores se levantem contra esse sistema de exploração e opressão, enterrando o capitalismo e suas mazelas de uma vez por todas, para dar espaço para uma sociedade livre de exploração e opressão, onde todos os trabalhadores possam desfrutar de uma vida plena.




Tópicos relacionados

exploração   /    Capitalismo   /    Sociedade   /    Crise mundial

Comentários

Comentar