Política

REPROVAÇÃO ÀS INSTITUIÇÕES DO REGIME

64% da população reprova acordo que dá impunidade à JBS e 69% querem renúncia de Temer

Para 64% da população, Procuradoria-Geral da República agiu mal ao fechar acordo que prevê multa e não prisão aos donos da JBS. 69% acham governo Temer Ruim ou péssimo e 69% querem sua renúncia.

segunda-feira 26 de junho| Edição do dia

Segundo pesquisa encomendada pelo instituto Datafolha realizada entre os dias 21 e 23 de junho, o acordo entre Procuradoria-Geral e donos da JBS - que prevê multa irrisória diante dos lucros da empresa e deixa os irmãos Batista livres - é reprovado por 64% da população brasileira.

A pesquisa revela que para mais de 80% da população os irmãos donos da JBS deveriam ter sidos presos e para 83%, Michel Temer (PMDB) tinha envolvimento direto no escândalo de corrupção revelado por Joesley em conversa gravada com o presidente golpista, na qual autorizou pagamento para o silêncio de Eduardo Cunha (PMDB).

O acordo fechado de delação premiada dos irmãos Batistas (donos da JBS) consistia no pagamento de R$ 110 milhões (cada um dos irmãos), diferentemente de outros casos de delação, dessa forma os irmãos Batistas não correm risco de serem submetidos a prisões ou utilização de tornozeleiras eletrônicas como em outros casos. Para eles, o acordo permitiu que fossem para Nova Iorque, nos Estados Unidos, com a possibilidade de administrarem a empresa por lá como se não tivessem lucrado bilhões por meio de corrupção e com recursos públicos.

O DataFolha ainda divulgou números da popularidade de Temer, que bateu recorde negativo atingindo a casa dos 5% para aqueles que consideram esse governo ótimo ou bom e para 69% para os que acham o governo Péssimo ou Ruim.

Os números também mostram que 76% dos entrevistados acham que o governo Temer não possui mais legitimidade e deveria renunciar à Presidência. No caso de Temer não renunciar à Presidência, 81% dos entrevistados defendem o impeachment.




Tópicos relacionados

JBS   /    Governo Temer   /    Michel Temer   /    Poder Judiciário   /    Crise no governo   /    Política

Comentários

Comentar