Política

RIO GRANDE DO SUL

63% dos portoalegrenses reprovam governo Leite, segundo pesquisa

quarta-feira 9 de outubro| Edição do dia

Pesquisa recente feita pelo Instituto Methodus indica que 63% dos portoalegrenses reprovam o governo de Eduardo Leite. Cerca de 800 pessoas foram entrevistadas para chegar ao resultado. A pesquisa indica também que 47% das pessoas julga o governo Leite péssimo ou ruim, 39% acham regular e míseros 14% avaliam a gestão como boa ou ótima. Maus ares pairam sobre o Piratini na manhã de quarta-feira (9/10).

A pesquisa sai em momento oportuno, justamente quando o governador gaúcho avança em seu plano de destruição do plano de carreira dos professores, demagogicamente sob o discurso de garantir o piso salarial nacional. A avaliação, no entanto, vem da experiência de quase um ano do governo tucano que avançou nas privatizações do patrimônio gaúcho, seguiu os parcelamentos e atrasos salariais do funcionalismo público e vem descarregando a crise econômica nas costas dos trabalhadores e da população. Ou seja, em menos de um ano, a população da capital, pelo menos, abre os olhos para as medidas neoliberais de Eduardo Leite e a desaprova categoricamente.

Mas para frear os ataques de Leite aos serviços públicos e a venda do patrimônio gaúcho é necessário erguer uma forte mobilização dos trabalhadores e fazer com que os ricos paguem pela crise. Apenas reprovar a agenda neoliberal não basta. É preciso impor aos sonegadores bilionários a cobrança de todo o montante sonegado, confiscar seus bens, acabar com as isenções fiscais bilionárias aos grandes empresários e não pagar a dívida pública que serve tão somente para enriquecer os banqueiros. Medidas como essas permitem fazer com que os ricos paguem pela crise e avancemos em garantir os direitos dos professores e do conjunto do funcionalismo.




Tópicos relacionados

Eduardo Leite   /    Porto Alegre   /    Privatização   /    Crise gaúcha   /    Política

Comentários

Comentar