Internacional

GREVE GERAL NA FRANÇA

5 das 8 refinarias da França paralisadas em greve prolongável

O movimento se endurece nas refinarias francesas, com ações matinais de bloqueios neste dia de mobilização nacional contra a reforma da previdência, mas também com o anúncio da continuação da greve de maneira prolongável. 7 refinarias preveem que estarão em estado de escassez.

terça-feira 17 de dezembro de 2019| Edição do dia

No setor privado, as refinarias estão na vanguarda da mobilização contra a reforma previdenciária. No dia 10 de dezembro, sete das oito refinarias francesas estiveram mobilizadas, com a possibilidade de um movimento prolongável. Na refinaria de La Mède, por exemplo, a taxa de grevistas foi de 90%, como Fabien Cros da CGT Total nos explicou no dia 13 de dezembro.

Embora as notícias referentes às refinarias nos últimos dias foram marcadas pelo impressionante incêndio do maior região petroquímica da França, perto de Le Havre, hoje a questão que foi levantada foi de qual seria a continuidade da mobilização nesse setor central?

Cinco refinarias entraram no movimento prolongável neste 17 de dezembro. Assim, as refinarias da Total de La Mède, Normandia, Pétroinéos Lavéra e a refinaria de Grandpuits foram acompanhadas na greve renovável pela refinaria de Donges em Loire Atlantique. Segundo Nantes Révoltés, o movimento nesta última viu uma convergência entre os trabalhadores e os Coletes Amarelos, que hoje vieram prestar seu apoio.

[tradução twitte: Bloqueio do acesso à refinaria de Donges durantes várias horas desta manhã, levado à frente por trabalhadores da CGT e por Coletes Amarelos]

Nesta manhã, o acesso à refinaria de Saint Nazaire também estava bloqueado pelos grevistas que bloqueavam os caminhões.

[Tradução twitte: #greve17dezembro A greve por todos os lugares
Bloqueio nesta manhã do acesso leste da refinaria de St. Nazaire. Os caminhões tem que aguardar]

Outro ponto essencial da mobilização, o impacto da greve está começando a dar seus frutos. Assim, de acordo com a CGT, a escassez é hoje praticamente inevitável em 7 das 8 refinarias francesas! "Está claro que isso acontecerá, o impacto será grande em pouco tempo, não haverá nada para reabastecer", explica Daniel Bretones, secretário geral da CGT da região petroquímica de Lavéra, na France TV INFO.

Dados que obviamente alteram a correlação de forças e que impõem a necessidade da continuação do movimento para acentuar a pressão sobre o governo. Nesse sentido, está colocada a necessidade de desenvolver as assembleias gerais deliberativas na base de trabalhadores, para a construção de estruturas de verdadeira coordenação entre categorias, como um local de decisão da luta, até obter todas as reivindicações, em primeiro lugar a retirada da proposta de reforma da previdência sem negociação nem a reformulação da mesma.




Tópicos relacionados

Greve Geral na França   /    Emmanuel Macron   /    Greve Geral   /    Reforma da Previdência   /    Greve   /    Internacional

Comentários

Comentar