SÃO PAULO

286 moradores de rua estão com coronavírus: Doria e Covas são responsáveis

Segundo a prefeitura de São Paulo, 286 moradores de rua estão contaminados pela COVID-19 e 28 já morreram. Isso sem contar toda a subnotificação causada pela falta de testes massivos. Doria e Covas são responsáveis por esse absurdo.

quinta-feira 13 de agosto| Edição do dia

Em São Paulo, 286 moradores de rua foram diagnosticados com COVID-19; entre eles, 28 morreram. A terra da garoa possui 25 mil pessoas em situação de rua que estão sujeitas a todo tipo de situação, desde dias frios, chuvas, fome até a violência e uma maior vulnerabilidade a se contaminarem por diversas doenças. Diante desse número absurdo e do descaso do governo com essas pessoas, como elas podem se prevenir do coronavírus?

O sistema capitalista é doentio. No Brasil, temos o governo Bolsonaro que faz chacota com o número de mortes pela COVID-19, que hoje chega a 100 mil mortes. O que vemos desde a crise de 2008 é a vida dos trabalhadores sendo precarizada cada vez mais, seja procurando trabalhos informais ou diretamente sem emprego. Agora, na pandemia, as contradições desse sistema ficam mais visíveis.

25 mil pessoas em situação de rua é um absurdo! Esse número é superior ao de populações de várias cidades pequenas do interior do país. Essa situação não pode ser normalizada. Estruturalmente, é necessário garantir o direito a uma casa para viver e à alimentação. Essas são condições básicas para gestar a vida. Mas, para essas pessoas, o seu futuro é incerto e são as que mais sofrem com o verdadeiro caráter do capitalismo, o desprezo pela população trabalhadora.

Apesar do absurdo número de contaminados, não tem como confiar nesses dados, pois a quantidade de testes para coronavírus foram totalmente insuficientes para combater a pandemia. A maioria dos trabalhadores e da população que vive em situação de rua não tiveram acesso aos testes, e muitas vidas foram perdidas sem sequer ter a confirmação da doença.

Os trabalhadores continuaram dando o seu suor para ter alguma renda para sustentar suas casas, como as terceirizadas, o telemarketing, entregadores de delivery, domésticas, garis etc. Imagina o limite que foram os testes nesse setor de rua. Muitos acreditam que já tiveram contato com o vírus, o que é muito possível, pois, se o governador Doria, que está em quarentena, deu positivo, quem dirá as pessoas em situação de rua que estão expostas a todo tipo de situação.

Não só o governo Bolsonaro é culpado por essa política assassina, mas também as outras alas do regime, como judiciário, a Câmara dos Deputados e os senadores, que alinham ao presidente ao tratar os trabalhadores como descartáveis. Assim como o governador Doria e o prefeito Covas, que são os principais responsáveis pelas quase 26 mil mortes na cidade de São Paulo.

É urgente um plano dos trabalhadores contra a absurda situação dos moradores de rua. Para conter de fato o avanço da pandemia e a morte dessas pessoas, é necessário um programa para resolver o problema da falta de moradia, que comece colocando os imóveis desocupados a disposição de abrigar pessoas em situação de rua e um plano de obras públicas que garanta moradia para todos que precisam. É preciso ser frontalmente contra os despejos agora na pandemia, que colabora com o aumento da quantidade de pessoas na rua, além de testes massivos e tratamento de qualidade para todas essas pessoas.




Tópicos relacionados

COVID-19   /    Coronavírus e racismo   /    Coronavírus   /    Bruno Covas   /    Sem-teto   /    moradores de rua   /    João Doria   /    São Paulo (capital)

Comentários

Comentar