Mundo Operário

TERCEIRIZAÇÃO

22% dos trabalhos formais no país são terceirizados, mostrando o avanço da precarização

Dados do IBGE indicam que 22% dos trabalhadores formais hoje são terceirizados. E a expectativa dos capitalistas é que esse dado absurdo dobre ainda nos próximos anos explorando cada vez mais trabalhadores, principalmente mulheres e negros.

terça-feira 17 de julho| Edição do dia

Dados do IBGE indicam que 22% dos trabalhadores formais hoje são terceirizados e a expectativa de especialistas em Gestão de Pessoas é de que este número aumente nos próximos anos. Desde a aprovação da Terceirização Irrestrita aprovada no ano passado e sancionada pelo Presidente Michel Temer, que ela vem crescendo. O desejo insaciável de dos empresários de garantir que lucre ainda mais, está sendo atendido agora podendo terceirizar atividades fins, tirando direitos dos trabalhadores que ocupam estes postos de trabalho e precarizando o serviço.

Ao longo do primeiro semestre de 2018, as empresas aumentaram o número de vagas nesta modalidade de contratação, principalmente depois da aprovação da Reforma Trabalhista que já estava em vigor desde novembro de 2017, e a Lei da Terceirização, que permite que não apenas as atividades como segurança e limpeza sejam terceirizados, como as atividades fins de uma empresa podem, podendo terceirizar todas as funções da empresa.

Segundo o Diretor Executivo do Grupo RHBrasil, Jonas Krüger,que é uma das maiores consultorias de recrutamento do país, alega que as organizações estão preparadas para terceirizarem ainda mais, e se hoje 20% dos negócios de sua consultoria estão relacionados à terceirização, este número vai dobrar em três anos.

Esse dado é muito revoltante. Onde mais de 13 milhões de brasileiros estão desempregados, os únicos serviços oferecidos são precários, e com salários que pode ser reduzido até 25% do que o salário de um efetivado. O mais gritante ainda é que os postos de trabalhos terceirizados é majoritariamente ocupado por mulheres e negros, mostrando seu caráter completamente racista e machista, por reservarem para eles os cargos mais precários com salários extremamente baixos.

Por isso que para anular a lei da terceirização irrestrita e a reforma trabalhista, as mulheres trabalhadores devem se colocar na linha de frente de uma batalha para mostrar que nossas vidas valem mais do que os lucros daqueles que nos exploram e nos atacam. Se organizando nos locais de trabalho, ao lado década trabalhadora negra, e conquistando cada trabalhadora branca e cada trabalhador homem para essa luta. e se mobilizem também contra o pagamento da dívida pública que é um verdadeiro saque trilionário realizados pelos imperialistas. Que por causa dessa dívida, reformas como a trabalhista e a lei da Terceirização foram aprovadas para que os trabalhadores trabalhem até morrer e continue entregando o lucro para os imperialistas.




Tópicos relacionados

Reforma Trabalhista   /    Terceirização   /    Mundo Operário

Comentários

Comentar