Política

CRISE DOS COMBUSTÍVEIS

16 programas sociais que Temer cortará para garantir subsídios pros patrões do transporte

Para garantir a diminuição do diesel, entre outras demandas levantadas pela patronal do transporte de cargas durante a mobilização dos caminhoneiros, Temer irá atacar frontalmente programas sociais que afetam a vida de diversos setores oprimidos da população. Veja abaixo quais são.

quinta-feira 31 de maio| Edição do dia

1. Políticas Públicas de Juventude

Todos os dias 63 jovens negros morrem no Brasil, fruto de políticas repressivas utilizadas pelo Estado contra a população jovem periférica. A intervenção federal no Rio abriu espaço para ainda mais matança, mascarada com o falso propósito de "guerra às drogas e ao crime organizado". Em 2017, 1 a cada 4 jovens iam abandonar os estudos, ficando totalmente vulneráveis e marginalizados. A população carcerária do Brasil é 56% de jovens, mostrando a falência do Estado e do capitalismo, que reserva pra juventude um conjunto de ataques e uma vida de misérias. Nesse cenário, Temer corta o programa que atende essa juventude, para agradar os patrões do transporte de cargas.

2. Políticas de Igualdade e Enfrentamento à Violência contra as Mulheres

São 12 mulheres vítimas de feminicídio no Brasil todos os dias e mais de 1,2 milhões de processos de violência doméstica em curso. Os dados de processos contra violência doméstica subestimam a quantidade real de mulheres que sofrem agressões no Brasil. As mortes e as diversas formas de violência contra as mulheres não foram o suficiente para tocar o coração de Michel Temer tanto quanto a patronal do Transporte: o programa de combate da violência contra a mulher será alvo de corte para manter os subsídios dos barões do transporte de cargas.

3.Fortalecimento do Sistema Único de Saúde (SUS)

O sucateamento do SUS não é uma novidade do governo Temer, apesar dos esforços descomunais de Ricardo Barros, Ministro da Saúde, abrir ainda mais espaço pros tubarões da saúde privada, principalmente do ramo de planos de saúde. Foi no governo Dilma que uma lei foi sancionada, permitindo a entrada de capital estrangeiro na saúde e daí se conformaram os maiores monopólios dos sistemas médico-hospitalares e seus aparatos. Foi daí que nasceu a Amil, fruto de uma grande coalisão do capital estrangeiro com empresas brasileiras. Temer vai com tudo pra cima do direito básico da Saúde, e escolhe cortar um programa de fortalecimento aos SUS nessa jornada para garantir os interesses dos patrões. É tirando o direito à saúde gratuita e de qualidade que Temer fará baixar o diesel.

4. Programas para garantir acesso à terra e cultivo pelos pequenos produtores rurais

No rol de programas que visam garantir direitos aos pequenos produtores no Brasil, Temer cortará muitos deles: Assistência Técnica e Extensão Rural para Agricultura Familiar, Desenvolvimento de Assentamentos Rurais, Promoção da Educação do Campo e Criação de Assentamentos da Reforma Agrária. Temer vai acertar em cheio a população rural, que já vive marginalizada, em uma constante luta contra os grandes chefes do agronegócio do Brasil. Não satisfeito em diminuir o diesel, agradando já diretamente o agronegócio da soja, Temer também vai atacar programas que buscam garantir o mínimo direito para a população pobre rural.


No Brasil, quase 25% da população rural vive em situação de miséria

5.Fiscalização de Terras Indígenas e Proteção dos Povos Indígenas Isolados

Historicamente perseguidos, os povos indígenas não passaram despercebidos pelo golpista: em agosto do ano passado, os Guarani-Kaiowá e indígenas de outras etnias travaram uma forte luta pelas demarcações de terras das tribos indígenas. O genocídio dos povos indígenas e as fortes resistências que travam contra os barões do agronegócio é uma constante na vida desses povos. Temer, cortará um programa que busca defender povos indígenas que são dia a dia brutalmente atacados.

6.Políticas contra às drogas e proteção dos usuários

Droga não é caso de polícia e sim de saúde pública. Temer, opta pela primeira via, como mostra a Intervenção Federal no Rio. Busca "estabelecer a ordem e a segurança pública", quando na verdade é uma verdadeira máquina pra promover o genocídio da população negra. As drogas são um problema que abrange diversos ramos de debate: social, políticos, econômico, saúde. A política do Estado contra as drogas é encarcerar e negligenciar, como mostram as inúmeras ações ineficientes e assassinas: UPPs e ataques à cracolândia, em SP. Enquanto a população perece frente ao uso abusivo de substâncias tóxicas, pela via do tráfico e das disputas entre crime e polícia, Temer corta os programas de Política Pública sobre Drogas e Redes de Cuidados e Reinserção Social de Pessoas e Famílias que Têm Problemas com Álcool e Outras Drogas, para beneficiar os chefes das transportadoras e empresas de logística.

7. Moradia Digna - Apoio à Produção ou Melhoria Habitacional de Interesse Social

No dia primeiro de Maio deste ano aconteceu uma tragédia na cidade de São Paulo que escancarou a grande ferida que é a falta de moradia no Brasil, consequência da especulação imobiliária absurda: um prédio ocupado pegou fogo e desabou no centro de São Paulo, deixando milhares de feridos. No Brasil temos 33,9 milhões de pessoas sem moradia. Frente a este problema de habitação, que tem como culpado o Estado e sua omissão na garantia de moradia digna para todos, Temer cortou atacou de novo a população mais pobre pra brindar a alegria dos patrões.

8. Programas para garantir outras vias de transporte pra além dos rodoviários

O corte desse programa é pouco surpreendente, e bastante óbvio: Temer vai cortar programas que buscar desenvolver outras formas de transporte de cargas no Brasil. Os programas cortados serão Transporte Aquaviário - Dragagem de Adequação da Navegabilidade em Portos / Melhoramentos no Canal de Navegação da Hidrovia do Rio Tocantins / Construção de Terminais Fluviais na Região Norte e Funcionamento dos Terminais Pesqueiros Públicos de Propriedade e Administração da União. O Brasil, com seu tamanho territorial imenso, é o único país no mundo que tem 78% do seu transporte baseado em rodovias. Mais poluentes e carregam menos cargas, os caminhões continuam sendo a escolha que Temer vai priorizar neste acordo com as patronais.

E TEM MAIS...

Temer também irá cortar os seguintes programas:
- Apoio ao Desenvolvimento de Agricultura de Baixa Emissão de Carbono – ABC
- Equalização de Taxa de Juros em Financiamento à Inovação Tecnológica
- Concessão de bolsas no âmbito do Programa de Estímulo à Reestruturação e ao
Fortalecimento das Instituições de Ensino Superior (Proies)
- Levantamentos Geológicos Marinhos
- Concessão de Bolsas de Estudo a Alunos Estrangeiros, no Sistema Educacional Brasileiro
- Promoção do Trabalho Decente e Economia Solidária
- Esporte, Cidadania e Desenvolvimento
- Saneamento Básico- Construção e adequação de sistemas de abastecimento de água em comunidades ribeirinhas / Construção e adequação de sistemas públicos de esgotamento sanitário em comunidades ribeirinhas

Está claro que quem vai pagar a conta do diesel é a população, que não vai se beneficiar das demandas concedidas por Temer para os patrões do transporte, e, pior que isso, irá pagar por esse subsídios.

A luta contra o aumento dos combustíveis, pra além do diesel, mas também da gasolina e do gás de cozinha, não será feita em uma mobilização dirigida pelos patrões e quem em nada contemplam a real necessidade das demais categorias de trabalhadores e da população pobre. É através da estatização completa da Petrobras, sob gestão dos trabalhadores e do controle operário, que poderemos revogar a política de preços imposta por Pedro Parente e impedir a entrega de nossas riquezas para o capital estrangeiro.

Leia também: Para subsídio no Diesel, Temer lança decreto que corta direitos sociais




Tópicos relacionados

crise combustíveis   /    Juventude trabalhadora   /    Fora Temer   /    genocídio juventude negra   /    Moradia   /    Governo Temer   /    Michel Temer   /    Povos indígenas   /    Crise da Petrobrás   /    Violência contra a Mulher   /    Política

Comentários

Comentar