Política

DIA NACIONAL DE MOBILIZAÇÃO

16/08: Sintusp chama a lutar contra os ataques de Temer

No dia 16 de agosto as centrais sindicais CSB, CTB, CUT, Força Sindical, Nova Central Sindical, UGT, CGTB e CSP-Conlutas estão convocando um Dia Nacional de Mobilização

quarta-feira 10 de agosto| Edição do dia

No dia 16 de agosto as centrais sindicais CSB, CTB, CUT, Força Sindical, Nova Central Sindical, UGT, CGTB e CSP-Conlutas estão convocando um Dia Nacional de Mobilização contra os ajustes do governo golpista de Temer, que se são apresentados como uma nova Reforma da Previdência, a retirada de direitos trabalhistas, corte de gastos públicos, rebaixamento das condições de vida com o aumento do custo de vida através da inflação sem reajuste nos salários e desemprego de 11, 6 milhões de trabalhadores.

Frente a este chamado, o Sindicato dos Trabalhadores da USP aprovou sua participação neste dia de luta e faz um chamado aos estudantes e professores da USP para que façamos um ato no portão 1 da USP marcando um posicionamento claro contra cada uma destas medidas. Ao mesmo tempo será necessário marcar que os ataques de Temer não serão derrotados com bravatas dos dirigentes sindicais nos jornais, mas com mobilizações reais nas suas categorias e um plano de luta que paralise verdadeiramente os locais de trabalho e, assim, permita transformar em força real o enorme peso dos batalhões da classe trabalhadora brasileira.

Ao contrário disso, lamentavelmente, o que temos visto até aqui são as centrais sindicais falarem de greve geral da boca pra fora enquanto apoiam o golpe que levou Temer ao poder, como fez vergonhosamente a Força Sindical. Ou falar contra o golpe, mas se recusar a impulsionar qualquer medida séria de combate a Temer, como segue fazendo a CUT e a CTB que tem mais medo das mobilizações da classe trabalhadora do que dos golpistas. Não à toa o presidente da CUT, Vagner Freitas, declarou recentemente que "O que unifica é a defesa dos direitos (...) Não importa o posicionamento em relação ao governo", uma orientação coerente com a sua atuação em categorias onde a burocracia do PT e do PC do B votaram contra a incorporação dos trabalhadores aos atos através de medidas efetivas de luta.

Neste dia 16 o Sintusp marchará para marcar uma posição de independência de classe fazendo valer a votação de nossa assembleia, que antes mesmo de consumado o golpe se posicionou contra o Impeachment e os ajustes de Dilma.

Chamamos os trabalhadores, estudantes e professores a se mobilizarem no dia 16 de agosto com medidas efetivas de luta e marchando com uma posição de independência de classe, contra Temer golpista e todas as medidas de ajuste de seu governo.

Veja também :
* 16 de agosto tem que ser dia de greve, piquete e protesto

* Uma festa Olímpica de desemprego, crise na saúde e educação e recordes de privatização. Como resistir?




Tópicos relacionados

Política

Comentários

Comentar