Negr@s

JUSTIÇA POR MARIELLE

150 dias: Marielle, presente! Agora e sempre! Não descansaremos até achar os responsáveis

Carolina Cacau

Foi candidata a vereadora do MRT em 2016, é estudante da UERJ e professora da rede estadual.

sábado 11 de agosto| Edição do dia

150 dias do assassinato da Marielle. 150 dias de dor por uma perda que abalou o país, mas abalou ainda mais as mulheres, as negras. Não descansaremos até encontrar os responsáveis desse crime bárbaro.

A recente hipótese de ser Picciani, Albertassi e Paulo Melo deve servir de combustível para colocarmos ainda mais força na luta por justiça por Marielle. Nossa indignação não é menor se forem os milicianos que eram aventados na investigação até aqui, ou se ao final sejam outros responsáveis, mas todo carioca sabe que essa hipótese não é nada absurda, pois conhecemos o que essa corja do PMDB é capaz. Não é só que eles assaltam os cofres públicos. Eles são parte de uma série de parlamentares da ALERJ e da câmara dos vereadores do Rio que tem ligações com o crime organizado no Rio. Controlam territórios, defendem seus interesses econômicos e políticos na bala.

É um absurdo que até agora as investigações não tenham encontrado os responsáveis e que 5 meses depois abrem uma hipótese investigativa totalmente nova. É mais uma mostra do que viemos dizendo desde o primeiro dia: não podemos confiar que a polícia e o Estado vão apurar seriamente esse crime e punir os responsáveis se não mantemos a mobilização por justiça por Marielle. Até Jungmann, Ministro da Justiça, afirma que as investigações são obstaculizadas porque envolve pessoas poderosas.

Todos os candidatos da esquerda carioca e aqueles se dizem democráticos deveriam colocar peso nessa eleição nessa denúncia e chamado a sociedade a lutar por justiça. Não é uma eleição normal na qual podemos debater programas como em qualquer outra. Se nacionalmente já é uma eleição marcada pelo autoritarismo judiciário com a prisão do Lula para escolherem a dedo quem governa o país, aqui no Rio é ainda pior. Estes que agora são suspeitos de matarem a Marielle são os mesmos que deram o golpe institucional, aprovaram a intervenção federal e todos os ataques de Temer e Pezão. Essa intervenção federal que aumentou os índices de violência e foi sob a qual se deu este assassinato. É necessário utilizar o espaço das eleições para amplificar a denúncia dessa barbárie e fazer um forte chamado a retomar a mobilização nas ruas por justiça por Marielle e Anderson e para por fim à intervenção federal, que era uma das lutas de Marielle.

O melhor caminho para obrigar a que o Estado realmente investigue e puna os culpados é a mobilização. Mas ao mesmo tempo que devemos seguir exigindo que o Estado investigue e puna, não podemos deixar na mão somente deste Estado, que tem seus vínculos com o assassinato, o controle das investigações. Devemos exigir que o Estado garanta recursos e todas as condições para que uma investigação independente possa trabalhar, disponibilizando materiais, arquivos para organismos de direitos humanos, peritos especialistas comprometidos com a causa, parlamentares do PSOL, etc, que sejam parte da investigação.

Nenhum passo atrás na luta por justiça por Marielle e Anderson. Coloquemos novas energias nessa luta.

Marielle, presente!
Agora e sempre!
Investigação independente já!
Fora a intervenção federal!




Tópicos relacionados

Marielle Franco   /    PSOL   /    Rio de Janeiro   /    Negr@s   /    Política

Comentários

Comentar