Mundo Operário

DEMISSÕES

1470 trabalhadores aderem ao PDV na Embraer

A empresa Embraer informou nesta segunda feira que aceitou 99,5% dos pedidos dos 1470 pedidos de adesão ao Programa de Demissão Voluntária nas unidades que a fabricante tem aviões no país. De acordo com a fabricante de aviões, os desligamentos serão feitos na primeira semana de outubro.

Guilherme de Almeida Soares

São José dos Campos

terça-feira 27 de setembro| Edição do dia

A Embraer informou em nota que além do PDV, outras ações de reduzir despesas da companhia seguem sendo impostas e seus impactos serão mostrados ao longo dos próximos meses. A empresa não revelou se o numero de adesões atingiu a meta, muito menos o motivo de ter recusado o pedido de sete funcionários.

De acordo com o Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos, que representa os trabalhadores de São José dos Campos, onde fica a sede da empresa, foram 600 adesões ao PDV da unidade. O Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos é contrario ao PDV na empresa. De acordo com Hebert Claros para o G1: ‘’Para nós, PDV é demissão. A Embraer aplicou e nós continuaremos denunciando, é uma economia para pagar a corrupção pelo qual eles estão devendo nos Estados Unidos’’.

O sindicato considera que o valor pago projetado na corte das despesas é o mesmo de uma possível multa referente a um caso de propina investigado pelo Ministério Publico Federal do Rio de Janeiro e denunciado em 2010 pelo Departamento de Justiça do governo dos Estados Unidos.

Esta é mais uma ação de uma empresa, que quer descarregar a crise econômica que o país está passando nas costas dos trabalhadores. É inadmissível que meia dúzia de grandes empresários que além de lucrarem milhões com o suor da classe trabalhadora, ainda tem o cinismo de fazer esquemas corruptos para fora do país para alcançar mercado em outros os países.

Importante lembrar que se no ex-governo de Dilma a patronal se sentia à vontade para demitir, com o governo Michel Temer os patrões vão encontrar um terreno aberto para que a demissão de milhares aconteça num ritmo mais acelerado. Não à toa Temer já lançou a ameaça da reforma trabalhista que flexibiliza os contratos de trabalho e remove onerações às empresas que demitirem, e ainda conta com um poder judiciário disposto a criar jurisprudências para facilitar a retirada de direitos. Com as demissões que os grandes empresários estão fazendo na indústria, certamente vira com o aumento da mão de obra barata e precária como a terceirização através da PL 4330, mas também de outras maneiras para piorar as condições de trabalho.

Estamos junto aos trabalhadores do Vale do Paraíba na luta contra esta calamidade promovida pela Embraer contra milhares de famílias




Tópicos relacionados

Demissões   /    Mundo Operário

Comentários

Comentar