10 motivos para conhecer e votar na CONTRAGOLPE para o DCE Unicamp

Conheça e vote na chapa Contragolpe para o DCE UNICAMP. Organizar os estudantes para transformar a universidade e se ligar à juventude em luta no país contra os ataques dos golpistas!

sexta-feira 18 de novembro| Edição do dia

1) A direita golpista se expressa na UNICAMP através do MBL e daqueles que a gerem em nome das empresas e da privatização, para ser restrita a poucos. Para impedir os ataques de Temer, Alckmin e também do Judiciário, como a PEC 241, a Reforma do Ensino Médio e a Reforma Trabalhista, devemos nos ligar à juventude que resiste em todo o país, como os secundaristas e estudantes das universidades privadas de Campinas, bem como aos trabalhadores dentro e fora da universidade.

2) Defendemos um DCE democrático e proporcional, no qual as chapas que participam do processo eleitoral componham a gestão de acordo com sua votação, para que os estudantes possam se experimentar com as diferentes ideias e propostas sobre os rumos da entidade durante todo o ano, e não só nos processos eleitorais.

3) Somos parte das mulheres, dos LGBTs, dos negros e indígenas que resistem todos os dias e temos nos colocado em luta nas ruas e ocupações. Queremos que o movimento estudantil seja parte da defesa decidida dos setores oprimidos, por isso defendemos uma secretaria aberta no DCE, para que estejamos à frente de combater as opressões que sofremos cotidiana e institucionalmente, contra uma reitoria que arquiva casos de estupro no campus, corta vagas na creche e não reconhece o nome social das pessoas trans!

4) A juventude negra está em luta no país e a Unicamp não pode mais esconder seu racismo estrutural. Nossa greve teve a pauta das cotas étnico-raciais no centro e seguimos mobilizados nas Audiências Públicas. Aqueles que governam a Unicamp hoje são racistas e barram milhares de jovens de estarem na universidade, por isso lutamos por cotas já e pelo fim do vestibular!

5) E além de entrar é preciso garantir a permanência, sem que os estudantes tenham de trabalhar em troca ou vivam em uma moradia megalotada, com manutenção precária. Lutamos por bolsas a todos os estudantes que precisem e que sejam bolsas-estudo. Pela ampliação e reforma efetiva da moradia, com estúdios para as famílias.

6) A meritocracia e competição estimuladas na universidade promovem e agudizam doenças psicológicas, bem como a estrutura opressora da universidade. A falta de profissionais e as longas filas de espera no SAPPE mostram o descaso da Unicamp com a saúde dos estudantes. Queremos assistência psicológica de acordo com a demanda.

7) Não temos nenhuma confiança na reitoria e no Conselho Universitário anti-democráticos. Defendemos que a universidade seja gerida democraticamente, através de um conselho formado por estudantes, funcionários e professores, de acordo com a real proporção que temos e construímos a universidade todos os dias. Temos direito de decidir sobre os rumos da UNICAMP.

8) Nossa universidade é vista pela maioria da população só como um hospital, cada vez mais precário. Queremos combater a lógica do conhecimento voltado aos lucros das empresas privadas, dos rankings e CRs. O conhecimento deve responder aos problemas que afetam a população pobre e os trabalhadores, assim como deve ser garantido que tenham acesso à vida acadêmica e social da universidade, pela extensão, produções artísticas e vivência.

9) A reitoria e o CONSU fazem coro com a Reforma do Ensino Médio, pois sucateiam os cursos que não são “eficientes”, como o Instituto de Artes, ou mesmo impedem alguns cursos de existirem no período noturno. Queremos uma universidade viva, na qual decidamos sobre nossos currículos, possamos estudar nossa história, produzir arte de maneira independente e tenhamos espaços para discutir.

10) Milhares de trabalhadores terceirizados, na maioria mulheres negras, garantem a limpeza e o funcionamento da universidade todos os dias. A reitoria não os reconhece como trabalhadores da UNICAMP, mantém sua precarização e baixos salários. Lutamos pela efetivação dos terceirizados sem concurso público.

Venha conhecer e construir essa chapa conosco! Eleições de 21 à 24 de novembro!




Comentários

Comentar