Internacional

INTERNACIONAL

10 fatos sobre o golpe de Pinochet no Chile

sexta-feira 11 de setembro| Edição do dia

1. Em 1970 a coalizão entre o Partido Socialista, o Partido Comunista, o Partido Radical, o Partido Social Democrata e o Movimento de Ação Popular conformam a Unidade Popular - UP, que vence as eleições daquele ano e leva Salvador Allende ao poder.

Pode te interessar: Unidade Popular, Cordões Industriais e o golpe de Estado

2. De 1970 a 1972 há crescimento econômico, algumas pequenas reformas, um certo nível de estabilidade social. A vida estava melhor para os mais pobres. Havia salário de acordo com a inflação, emprego e crédito.

3. Ainda em 1972 a crise internacional e as barreiras econômicas impostas pelo imperialismo norte-americano começam a apertar. Allende opta por mudar a política econômica do seu governo. Demite o ministro Pedro Vuskovic e coloca no poder Orlando Milles, do Partido Comunista.

4. Naquele mesmo ano, Orlando, orientado por Allende, busca frear a nacionalização das empresas, a reforma agrária e costurar um acordo com a oposição de direita, Democracia Cristã - DC. O governo tetava a conciliação.

5. Os trabalhadores questionam as medidas da Unidade Popular. Começam a explodir mobilizações nas ruas. Do outro lado, a direita radicalizava também promovendo lock out patronais, apoiados sobretudo entre os caminhoneiros. Grupos fascistas como o Patria e Liberdade surgem.

6. Nas fábricas e nos campos, os trabalhadores avançam. Fábricas e terras são ocupadas. Nas fábricas, criam-se organismos de auto-organização. Esses organismos superam a burocracia sindical da Unidade Popular e passam a coordenar suas lutas. Surgem os poderosos Cordões Industriais.

7. Os trabalhadores, agora auto-organizados nos Cordões Industriais, passam a exigir de Allende a nacionalização das fábricas, exigiam a estatização, enquanto os dirigentes sindicais do PC tentavam justificar a devolução das fábricas à patronal.

8. A Unidade Popular, preocupada com a radicalização dos trabalhadores, decide baixar a Lei de Controle de Armas. O Governo Allende entra nas fábricas e desarma os trabalhadores organizados. Atua abertamente contra os cordões industriais.

9. ’Chamem Augusto, que é dos nossos!’, gritou Salvador Allende sobre Augusto Pinochet, então chefe do exército, quando o golpismo já cercava o governo por todos os lados no segundo semestre de 73.

10. Setembro de 73, Pinochet dá o golpe em Allende. E os trabalhadores, agora desarmados pelo próprio governo da Unidade Popular, não puderam resistir ao golpe. Começava a ditadura mais sanguinária que a América Latina já viu, hoje reivindicada por Bolsonaro.

Pode te interessar:O Golpe de Estado no Chile e o seu conteúdo de classe anti-operário




Tópicos relacionados

Chile   /    Internacional

Comentários

Comentar