Cultura

CIA ANTROPOFÁGICA

Primeiro Encontro - Feministas de Todo o Mundo Uni-vos!

quinta-feira 10 de novembro| Edição do dia

Programação:

o Encontro começa com a leitura
1° Encontro - Feministas de Todo o Mundo Uni-vos!
Dia 26/11/16 (sábado) - 14h ás 20h
Casa do Teatro Documentário - Rua Maria José, 140 - Bexiga

Abertura – 14h – Leitura Dramática – Diabo, Carne e Mundo
O processo histórico de opressão de mulher, a colonização das Américas e a sociedade patriarcal são retratados em “Diabo, Carne e Mundo” texto livremente inspirado na poética de Eduardo Galeano. Trazendo à tona discussões já travadas, ainda não sanadas e por vezes adormecidas do papel da mulher na sociedade.
Com Andressa Ferrarezi, Alessandra Queiroz, Fabi Ribeiro e Ruth Melchior

Intervenção cênica de Martha Guijarro
Mesa – 15h – A Identidade da Mulher Trabalhadora dentro da Sociedade de Classes
Com Danielle Rosa Nascimento, Psicóloga – CRP 06/129898
Tornou-se mulher; portanto eterno Devir, Feminista, graduou-se Psicóloga Prounista pela Universidade Presbiteriana Mackenzie, pesquisadora, interventora institucional, trabalha sob a perspectiva da Esquizoanalize e têm desenvolvido um projeto com o Esquizodrama, psicoterapeuta clínica, idealizadora do Quintal Terapêutico, trabalhou com mulheres em situação de rua e vulnerabilidade social, fez um trabalho com mulheres transexuais e travestis no Primeiro Centro de Acolhida do Brasil para essa população.
Atualmente atende em consultório e desenvolve conteúdo, oficinas, palestras, workshops e encontros com mulheres.

Mesa – 16h - A Mulher e o Corpo
Com Andressa Ferrarezi, atriz, diretora de teatro, doula e aprendiz de Obstetrícia.

Show – 18h - Ela Solo Amore
Num clima de cabaré, Ela Solo Amore conta e canta suas aventuras e desventuras de amor. Num repertório que traz canções autorais, em ritmos bem dançantes, “Ela”envolve o espectador em sua trama, “cantando” suas histórias. Além da temática do amor, traz também canções que falam da libertação da mulher em seu modo de pensar e se relacionar, e ainda ressalta sua luta contra a opressão e violência sofrida pelas mulheres, em canções como "Não Cala" e " Sou dona de mim".




Tópicos relacionados

São Paulo (capital)   /    Cultura

Comentários

Comentar